-+

Medicamento Genérico pode ser uma opção de custo?

8 abril 2013

O Governo Federal autorizou um reajuste de 6.31% nos preços dos medicamentos.

Essa medida vai atingir diretamente o consumidor final que, em alguns casos, chega a gastar quase um salário mínimo só nas farmácias.

Dentro desta perspectiva, o uso de medicamentos genéricos pode, em algumas ocasiões, promover uma economia de mais de 30% mensalmente.

Porém segue a dúvida, se há segurança no uso de medicamentos genéricos e qual sua diferença quando comparados ao medicamento referência ou de marca e ao medicamento similar.

Segundo a definição da ANVISA, define-se cada um deles como:

Medicamento de marca ou referência: É o produto inovador, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente por ocasião do registro. É geralmente o primeiro remédio que surgiu para curar determinada doença e sua marca é bem conhecida. Boa parte do custo está relacionado ao gasto com pesquisas e desenvolvimento. Ex: Aspirina.

Medicamento genérico: É um remédio intercambiável com o produto de marca ou inovador. Isto é, pode ser trocado por este pois têm rigorosamente as mesmas características e efeitos sobre o organismo do paciente. A garantia é dada pelo Ministério da Saúde que exige testes de bioequivalência farmacêutica para aprovar os genéricos. Testes de bioequivalência servem para comprovar se dois produtos de idêntica forma farmacêutica, contendo idêntica composição, qualitativa e quantitativa, de princípio ativo, são absorvidos em igual quantidade e na mesma velocidade pelo organismo de quem os toma. Os genéricos podem ser trocados pelos medicamentos de marca quando o médico são se opuser à substituição.

Medicamento similar: Contém o mesmo princípio ativo, apresenta a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica do medicamento de referência, mas não são bioequivalentes. Sendo assim, não podem substituir os remédios de marca na receita pois, apesar de terem qualidade assegurada pelo Ministério da Saúde, não passaram por análises capazes de atestar se seus efeitos no paciente são exatamente iguais aos dos medicamentos de referência nos quesitos quantidade absorvida e velocidade de absorção.

Sendo assim, vale a pena checar com o seu médico se você pode utilizar o genérico e pedir que ele lhe oriente sobre qual o laboratório que na sua experiência é confiável para se usar.

Medicamento genérico é uma realidade no mundo todo, vale a pena tentar.

 

Referências: www.anvisa.gov.br